Search

Tecnologias que melhoram a vida de pessoas com problema de mobilidade

É comum associarmos num primeiro momento “problemas de mobilidade” apenas as pessoas com dificuldade de locomoção. A realidade, no entanto, é mais vasta e complexa.


A dimensão do problema pode ser estimada pelos números superlativos de pessoas com algum tipo de deficiência: no mundo a ONU calcula em cerca de 1 bilhão de pessoas, enquanto no Brasil o IBGE considera em torno de 6% da população. São pessoas com prejuízo na visão, audição, locomoção, fala ou intelecto, que ainda sofrem com a falta de tecnologias que possibilitem sua maior inclusão social e independência.


Os produtos vão desde softwares até artigos de robótica, todos com o objetivo de transformar a vidas das pessoas, mudando uma situação de incapacidade para uma realidade mais independente.


Leia também: Saúde do Futuro: Por que a popularização da telemedicina é um benefício para todos?


Temos desde produtos como o HandTalk que oferece tradução digital para acessibilidade em Libras, a Língua Brasileira de Sinais, bengalas luminosas (que iluminam os trajetos em condições de baixa luminosidade), bengalas eletrônicas (com GPS), aplicativos como o GuiadeRodas você pode consultar e avaliar a acessibilidade de locais, planejar viagens e ter acesso às principais notícias sobre acessibilidade e inclusão.


Considerando a maior causa de deficiência, a Visual, percebemos que um ato simples e comum do dia a dia dos brasileiros, como pegar um ônibus, torna-se difícil. Atualmente já há aplicativos sendo desenvolvidos para isso, como o Ponto de ônibus Inteligente (ViiBus). Outra situação corriqueira que representa um desafio a mais ao deficiente visual é se localizar dentro de estabelecimentos comerciais, problema também explorado por um aplicativo de smartphones (Viirotas).


Leia também: Aplicativos de saúde valem a pena?

Mais além, temos tecnologias como o mouse ocular (comandado pelos movimentos oculares), exoesqueleto robótico e até neuro reabilitação com uso de uma interface entre cérebros e máquinas, onde pessoas com lesão medular podem controlar voluntariamente os passos de um avatar.


Entretanto um dos maiores desafios de acessibilidade hoje é a infraestrutura urbana, que na maioria das vezes não integra as soluções tecnológicas atuais. A solução disso passa por políticas publicas inclusivas e conscientização da População.


A ehDoc tem como princípio trazer inovação, acesso e medicina para todos os usuários da plataforma. Um dos nossos pensamentos no momento de desenvolvimento foi a situação de muitas pessoas, principalmente idosos, com dificuldade de locomoção e necessidade de acompanhamento médico de rotina.


Através da ehDoc, o histórico de saúde é mais rápido e prático de consultar, em qualquer lugar do mundo, precisando apenas de conexão à internet. Disponibilizando esses dados a médicos antes das consultas, com autorização do usuário, o que permite maior análise e informação.


Desejamos que mais pessoas e associações público e privadas tenham acesso a esses recursos, permitindo maior qualidade de vida e diminuição de deslocamento. Assim, temos um futuro promissor a frente, com novas tecnologias surgindo para facilitar e incluir as pessoas com deficiências na Sociedade.

8 views0 comments

Recent Posts

See All